Pular para o conteúdo principal

Estudo da ciência do consumo

Data: 
sábado, 31 Dezembro 2016 - 16h15
Português, Brasil
FONTE: DIARIO DE PERNAMBUCO
Primeira capacitação de seu tipo no Brasil, o curso da Rural se dividirá em cinco os eixos das áreas humanas

Em tempos de crise na economia do país, saber planejar e administrar as contas da própria casa é fundamental. E ter esse conhecimento de forma mais ampla também pode ajudar a garantir uma vaga no mercado de trabalho. A partir de 2017, a Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) estará inaugurando a primeira turma do curso de graduação em bacharelado em ciências do consumo.

Pioneira no Brasil, a graduação tem formato inovador pelo qual o estudante pode optar por três eixos de atuação diferentes. Serão oferecidas 80 vagas, 40 em cada entrada, de manhã e à tarde, disponíveis já em janeiro por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu/MEC), porta de acesso a todos os cursos da UFRPE e de outras universidades públicas no país.

Em 2017, a Rural ofertará o curso no Campus Dois Irmãos e nas Unidades Acadêmicas do Cabo de Santo Agostinho, Garanhuns e Serra Talhada. Os estudantes terão que cursar quatro anos de graduação para obter o diploma de consumólogo ou cientista do consumo, escolhendo entre três eixos de conhecimento, conforme afinidade: desenvolvimento humano; alimentos, nutrição e saúde; e arte, habitação e vestuário.

“A pessoa pode atuar nos três eixos ou escolher uma das áreas”, diz a coordenadora do curso, a professora Michele Maciel. Segundo ela, a proposta da graduação foi apresentada pela UFRPE ao Ministério da Educação (MEC) em 2012, quando iniciaram-se os trâmites para a inserção no quadro de vagas da universidade.

A graduação vai funcionar no prédio do Departamento de Economia Doméstica no campus da UFRPE. “Vamos usar a mesma estrutura e laboratórios”, explica a professora Fátima Santigo, que é adjunta na coordenação.

O curso já existe fora do Brasil, mas dentro do país funciona apenas em São Paulo, na Escola Superior de Propaganda e Marketing, que possui graduação em ciências sociais e do consumo ligada à comunicação. “Mas a nossa proposta será diferenciada. O profissional poderá trabalhar em diversas áreas e entidades públicas e privadas”, diz.

Entre as áreas de atuação estão empresas da cadeia têxtil, hotelaria, extensão rural, capacitação profissional, unidades de saúde e educação, ONGs, cooperativas, fundações e órgãos de defesa do consumidor, entre outras.

De acordo com a pró-reitora de Ensino de Graduação da UFRPE, professora Socorro Lima, o bacharelado foi pensado para atender as demandas e gargalos contemporâneos e as necessidades do mundo do trabalho. “É um curso de vanguarda, que está totalmente inserido na contemporaneidade”, destaca.

A Rural já oferece o curso de bacharelado em economia doméstica, criado inicialmente como licenciatura em 1971. A capacitaçãio se divide em três áreas: alimentos, nutrição e saúde; arte, habitação e vestuário, e desenvolvimento humano.

Números 

  • 80 vagas serão oferecidas no novo curso
  • 40 vagas disponívels pela manhã
  • 40 vagas disponívels à tarde
  • 3.560 vagas são oferecidas nos cursos de graduação da UFRPE
  • 1.980 na unidade sede em Dois Irmãos, no Recife
  • 720 em Serra Talhada
  • 300 no Cabo de Santo Agostinho
  • 560 em Garanhuns
  • 18 mil estudantes fazem parte da instituição

Algumas áreas de atuação

  • Cadeia têxtil
  • Hotelaria
  • Projetos de espaço construído e ambiente
  • Seguros de saúde
  • Equipamentos de assistência social (Cras, Creas, Funase, entre outros)
  • Hospitais, clínicas e unidades de saúde
  • Instituições de ensino
  • Pesquisa e inteligência mercadológica
  • Instituições de longa permanência de idosos
  • Lavanderias
  • Organizações de extensão rural
  • Instituições de capacitação profissional
  • Controle sanitário e ambiental
  • ONGs
  • Prestadoras de serviços de higiene e limpeza
  • Unidades de produção de refeições