Pular para o conteúdo principal

UFRPE recebe Jornada Universitária em Defesa da Reforma Agrária

segunda-feira, 15 Maio 2017 - 10h14
De 23 a 25 de maio a Coordenação da Licenciatura em Ciências Agrícolas (LA) e o Núcleo de Agroecologia e Campesinato (NAC) da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) realizam a IV Jornada Universitária em Defesa da Reforma Agrária (JURA). O tema principal do encontro será RESISTÊNCIA AO GOLPE E A LUTA POR UM BRASIL POPULAR. A programação consta de Debates, Exposição fotográfica,Oficinas, Feira de Produtos da Reforma Agrária e Visita aos assentamentos.

A inscrição pode ser feita https://docs.google.com/…/1FAIpQLSfSFs9PvfdN6y-jmQ…/viewform

A inscrição só será validada com a entrega de 1kg de alimentos na coordenação de LA (13h até 19h). Para aqueles que querem participar da vista de campo, será cobrada uma taxa de R$15,00 para o almoço.

Sobre o JURA

Desde 2014 as universidades brasileiras, comprometidas com a questão agrária no Brasil, vêm desenvolvendo a Jornada Universitária em Defesa da Reforma Agrária (JURA) em parceria com a Escola Nacional Florestan Fernandes e diversos movimentos sociais, locais e nacionais. A UFRPE participa da atividade desde o seu início, provocando o debate com a comunidade acadêmica, agregando professores e estudantes envolvidos ou interessados em atividades de ensino, pesquisa e extensão sobre a questão agrária brasileira.

Neste ano, a IV JURA tem o intuito de promover o debate acadêmico e político sobre a conjuntura nacional, a respeito da questão agrária e sua amplitude – educação, agroecologia, questões socioambientais e política. De acordo com os organizadores, o tema a ser debatino na UFRPE, RESISTÊNCIA AO GOLPE E A LUTA POR UM BRASIL POPULAR, busca reafirmar posicionamento contra a Medida Provisória 759/2016, que versa sobre regularização fundiária, e demandando restrições à aquisição de terras brasileiras por estrangeiros. Segundo os organizadores, essas ameaças são ações já articuladas pelo Estado, beneficiando exclusivamente os interesses do agronegócio e distanciando os movimentos sociais da luta legitima pelo desenvolvimento da política agrária, ratificando a ação do Estado alinhado aos interesses da bancada ruralista.

A Jornada na UFRPE busca denunciar as ameaças que os povos tradicionais também estão passando, como,  para os povos quilombolas, a suspensão das titulações de suas áreas por tempo indeterminado, que ocorria desde 1995, ficando na pendência 1.536 área em processo de regularização. De acorcom com os responsáveis pela Jornada, a suspensão ocorre num momento em que o governo, sob forte pressão da bancada ruralista no Congresso, revisa suas políticas para comunidades tradicionais e indígenas.

Também diante da atual conjuntura, os integrantes da Jornada buscam denunciar o processo de criminalização dos movimentos sociais, por meio de prisões arbitrárias e chacina das lideranças, como aconteceu agora no mês de abril com a morte de nove assentados da reforma agrária, área rural do município de Colniza no Mato Grosso.

Outra questão a ser tratada no evento é a reforma da previdência, que tira direitos historicamente conquistados pela luta dos trabalhadores e trabalhadoras, Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 287, que altera, entre outras coisas, as regras da aposentadoria.

A comunidade é convidade a comparecer e conhecer, participar e refletir sobre todas essas questões, reafirmando o compromisso desta universidade com a sociedade brasileira.

INFORMAÇÕES: www.facebook.com/juraufrpe/

INSCRIÇÕES: https://docs.google.com/…/1FAIpQLSfSFs9PvfdN6y-jmQ…/viewform